12 de julho de 2019

Aprender a dividir o tempo


Às vezes, a vida entra numa batida desenfreada e a gente já não consegue manter uma regularidade em algumas coisas. Outras ficam à frente por motivos diversos, porque vamos acumulando essa e aquela e aquela habilidade e somando esse e aquele resultado. Mas, no fim, a gente sempre volta ao que ficou um pouco para trás, busca o reequilíbrio e tenta recolocar as coisas nos eixos.

É assim que a vida me deixa longe, algumas vezes, daqui. Talvez como todos nós em algum momento, né? O tempo vai se sobrepondo e vamos abraçando o mundo com os braços de uma vez. E vamos buscando novos caminhos, sonhando mais, desejando mais, iniciando outras estradas. E até parece desleixo, ou falta de atenção, ou falta de cuidado. Mas não é. Não é mesmo. É falta de aprender a dividir bem o tempo.

Muitas das coisas que ficam de lado poderiam ser encaixadas no tempo que temos apenas pelo simples fato de organizarmos o que precisamos fazer. Parar, colocar no papel os compromissos e estabelecer como resolvê-los dentro de um determinado período. E isso é possível.

Não é fácil, na maioria das vezes. São tantas coisas para desviar do caminho, atrair a nossa atenção, prendê-la por minutos em algo aleatório que nem fazia parte do dia. Compromissos assumidos, novos desafios, a velocidade do tempo. Aquela correria que, muitas vezes, seguimos e nem precisávamos deixar que ela nos levasse assim.

Mas o que fazer com tudo isso? Com tantos e tantos? Como buscar o reequilíbrio e ajustar tudo dentro do nosso possível? Essas são perguntas que minha mente, muitas vezes, se faz. E aí vem o tempo corrido do que já se sobrepõe ao minuto que passou e preciso seguir com o que está à frente.

Não sei quem anda assim. Não sei quem se sente assim. Provavelmente a organização de alguns possa contribuir com a falta de organização e a vida corrida de outros. Quem quiser compartilhar ideias sobre isso, seja bem-vindx! 

Saudade daqui sempre ;) 

5 comentários:

  1. verdade, é uma grande manobra. e eu acho que devemos ter tempo pra fazer nada tb. eu gosto da vida mais anárquica. me incomodo com quem tudo milimétrico, acho que deixam de viver. e me incomodo mais ainda com tabelas de atividades aso filhos. viram máquinas. acho que é fundamental às vezes não fazer nada. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Esse é um aprendizado que só nos acrescenta na vida...Fazer render com coisas boas é demais! Bom te ver! beijos, chica

    ResponderExcluir
  3. Oii Lu! Tudo bem?
    Sempre bom quando você passa por aqui. Passei a te seguir no insta pra não perder de vista haha =)
    Tão comum hoje em dia essa sobrecarga de coisas para fazer, tantas opções e necessidades e, por fim, o que realmente queremos e o que é prioridade???
    Difícil de responder, até porque em certos momentos estamos nos sentindo de um jeito e depois de outro.
    Acho que o mais importante é que os afazeres que temos e decidimos dar prioridade façam sentido para nós e para o caminho que decidimos trilhar em nossas vidas. Se o as coisas que fazemos (ao menos as principais) contribuem para isso, então acredito que estamos no caminho certo.
    Ótima semana!
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. E parece que andamos a correr atrás do tempo. Para quê? Às vezes basta um pouco de paciência e método. Gostei do texto.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. Empregar bem o nosso tempo... eu acho que é o aprendizado de toda uma vida... eu vivo me debatendo com o tempo, ou com a falta dele... todo o santo dia...
    Mas quem consegue se organizar, dada a aliatoriedade da vida?... Eu já só tento organizar-me em um dia de cada vez!...
    Deixo um beijinho, e me despedindo daqui por um tempinho, nesta minha habitual pausa de Verão, por esta altura!
    Até breve! Tudo de bom!
    Ana

    ResponderExcluir

Aprender a dividir o tempo

Às vezes, a vida entra numa batida desenfreada e a gente já não consegue manter uma regularidade em algumas coisas. Outras ficam à frente...