16 de setembro de 2018

Finitos e infinitos

Somos cíclicos e finitos. Iniciamos e terminamos tudo na nossa vida. Início, meio e fim são itens comuns para o nosso dia a dia. Seja no que nos é pessoal, no trabalho, até o amor que, muitas vezes, é infinito enquanto dure. Claro que com licença às crenças espirituais de vida pós-morte, estamos falando de algo mais pragmático. Talvez projetos, projeções, apostas, desejos, relações e podemos incluir o que é físico. Somos cercados pela finitude do todo. Nosso corpo e a nossa mente estão acostumados a finalizar tarefas, desejar pelo fim, buscar a conclusão.

E esse pensamento pode nos levar às questões das redes sociais atualmente. São praticamente infinitas com atualizações e mais atualizações, mesmo que esse ou aquele assunto volte à toa, elas continuam a atualizar e trazer mais informações, atualizar e mais informações, atualizar, atualizar, atualizar. Muitas e mais vezes. Infinitamente.

Passamos os dedos de baixo para cima nos nossos smartphones numa busca pelo o que está por vir. Qual a próxima novidade? Qual a próxima foto, seja lá de quem ou do que for. Qual a próxima, a próxima, a próxima? 

Essa sensação de infinito contrasta exatamente com a nossa essência finita. E aí, algumas vezes, tudo isso nos funde a mente, nos deixa exaustos, nos deixa ansiosos e conectados com um formato que não nos individualiza. Mas não nos deixa com a impressão de estar ao relento e, sim, imersos ao todo. E aí muitas vezes sentimos diversos ir e vir de sensações: acelerar, anestesiar, prender, desfocar, despertar, impulsionar, subir novas montanhas. 

Tudo isso pode estar ligado a uma ansiedade sem controle. E aí isso pode, de verdade, nos afetar e nos fazer mal. O quanto só cada um de nós pode saber e sentir. Vai depender do que temos de limite, do quanto o ilimitado nos afeta, do quanto conseguimos medir e compreender o que não tem fim. 

E quem já se sentiu assim?




25 comentários:

  1. realmente se nos perdermos na rede vamos nos perder de nós mesmos. eu tento reduzir quando dá. mas o trabalho é meio misturado com a rede. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Bom dia:- Hoje, as redes sociais, são um fenómeno imparável.
    .
    * De mãos dadas ... Seguimos unidos *
    .
    Feliz início de semana

    ResponderExcluir
  3. Se não "conseguimos medir e compreender o que não tem fim", o melhor é levar a vida com leveza sem pensar muito nisso…
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. Olá Lu tudo bem???


    É difícil diminuir, mas as vezes é preciso viver o real e deixar o virtual pra mais tarde...


    Beijinhos;
    Débora.
    https://derbymotta.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. É a vida no seu vai-vem apressado e à beira de um simples clique. No entanto,há que saber gerir o real e o virtual também.
    Bjn
    Márcia

    ResponderExcluir
  6. Eu consegui me desapegar do celular durante o dia, mas a noite é inevitável por conta do blog.
    Big beijos
    www.luluonthesky.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Lu
    Não tenho apego pelo celular e loucura que deixa as pessoas grudadas nele o tempo inteiro passa pela obsessão e torna-se doença; Consigo gerir o virtual e o real. Há tanta vida fora do virtual não é?
    Em tudo e para tudo há que se impor limites
    Beijinhos e muitos sorrisos

    ResponderExcluir
  8. Adorei o texto, essas redes sociais são mesmo infinitas, o dia inteiro cheia de atualizações e coisas novas pra ver, a gente se perde mesmo, temos que ir tomando cuidado pra não ficar preso nesse ciclo infinito.
    Beijooos
    Yanna Karim

    ResponderExcluir
  9. É muita atualização para pouco tempo diário e causa muita ansiedade.Bia semana.Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Belíssima e sensível reflexão flor artista Lu.
    A vida é mesmo uma grande onda...com seus movimentos diferenciados...sempre!
    Abraços carinhosos meus.

    ResponderExcluir
  11. Lu, adorei o nome do seu blog, assim como ter cruzado com ele.
    A ansiedade, realmente, está deixando a vida com muito menos leveza. E os smartphones são, sem dúvida, os grandes responsáveis. É preciso exercitar muito o auto-controle, para fugir da dependência.

    ResponderExcluir
  12. Oi, Lu!

    Que grande reflexão!
    A vida é como o mar, ora vem a maré cheia, ora a maré vazia. Minha vida tem sido equilibrada, mesmo assim.

    Beijinhos e bfds.

    ResponderExcluir
  13. que boa reflexão!
    https://retromaggie.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Que reflexão interessante, e como percebo essa ansiedade!

    ResponderExcluir
  15. Ola Lu,
    Sim ja me senti assim. São informações em cima
    de informações e se a gente não desapegar a vida
    fica engessada dentro de um celular.
    Muito boa a reflexão.
    Bom domingo
    beijos

    ResponderExcluir
  16. cara, SIM! é exatamente isso. várias vezes já me peguei deitando super cedo, aí parava pra dar uma olhadinha no celular, o feed infinito me prendia e pá: quando eu via já era super tarde e não adiantou de nada ter deitado super cedo, e isso acaba me prejudicando no dia seguinte. sem contar a ansiedade, né? parei de usar o twitter por isso e tô me policiando com as outras redes. é foda. gostei muito da reflexão!

    um beijão,
    Gabs | likegabs.blogspot.com ❥

    ResponderExcluir
  17. Eu já enjoei de rede social. Tanto que só mantenho ainda, devido ao blog. xD

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  18. Uma reflexão muito interessante e bem real.
    Bjn
    Márcia

    ResponderExcluir
  19. Verdade. Quantas vezes busco o silêncio e a solidão na Natureza, qual fonte que refresca os sentidos e acalma a mente.

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  20. Nossa, esse texto foi muuito reflexivo, muito inspirador.

    ResponderExcluir
  21. This prodcuts Produced in South Korea ,but most of the peoples knew htat Hongkong is shopping heaven ,Jewelry ,watches ,skin care product etc for your choices:haircuts

    hairstyles

    Luxury Jewerly

    Personality design

    ResponderExcluir
  22. Delicioso ler esse texto e se identificar com algumas partes e refletir para melhorar.

    Beijos
    www.pimentadeacucar.com

    ResponderExcluir
  23. É por não me querer sentir assim, que ainda não mergulhei a fundo, no mundo das redes sociais... essa sensação de dispersão, e de que faça o que se fizer jamais se agradará a todos... corrói-nos por dentro... se for levando tudo à letra...
    Mais um texto, no qual me revi, em muitas passagens!...
    Beijinho
    Ana

    ResponderExcluir

Outra metade

As pessoas não vão pensar como a gente sempre. Não terão os mesmos desejos. Não vão escolher os mesmos caminhos. Seguirão na direção contrá...