28 de março de 2019

O quanto vale a dureza?


Não sei quem já observou ou conseguiu lidar com a dureza que surge em alguns momentos da vida. Aquele escudo que, muitas vezes, construímos ao longo do tempo e que é um caminho que acreditamos que serve para nos defender. Também não sei se todo mundo pode reconhecê-la em si. Às vezes, insistimos que não a guardamos para as situações que surgem. 

Quem a tem talvez consiga compartilhar o quanto que ela é presente em situações-limite. É uma quase certeza de que esmorecer, desarmar, soltar pode levar a um caos que a mente insiste em dizer que não será possível reorganizar. Sabem como é?

Bom é quando nos chegam aquelas ideias para muitas pessoas consideradas malucas. “Nao! Preciso ser forte para sustentar o outro”. “Nao, preciso não amolecer para servir de apoio”. “Não, preciso segurar o que for necessário para dar o máximo que tenho”. “Não, não é hora de me abalar para que o outro não perceba a minha fragilidade”. Sempre vem com o não, não e não. Podem ser ideias como essas em vários formatos e com vários tipos de justificativas.

O pensamento insiste em dizer que a dureza é necessária. E aí? Quem poderia nos dizer se, com a dureza, podemos levar leveza ao outro? Quem pode nos ajudar a decifrar se construir muros quase impenetráveis nos permitirá mostrar o que vai além deles. Do que nos vale a rigidez avaliada como suficiente em momentos em que a emoção é o maior peso de uma balança? Quem vai nos garantir que isso fará realmente a diferença que gostaríamos?

Pensar na dureza pode nos trazer previsões a serem cumpridas quase que milimetricamente dentro de contextos estabelecidos. Rigidez pode nos deixar dentro de uma redoma que nos parece impenetrável até mesmo para boa experiência. O afastamento do sentir pode nos tornar insensíveis muitas vezes pela distância emocional que nós escolhemos por impor essa opção em determinada situação. Já pensamos sobre isso?

Na grande maioria das vezes, podemos acreditar que o olhar firme e forte que pode servir como escudo aos olhos de quem precisa de um afago é o que se espera de melhor. Certamente conhecemos aquela postura quase inflexível para mostrar sustentação ao outro, não é? Quase sem movimentos, sem respiração. Será que conseguimos visualizar isso?

A questão é que a rigidez pode ser responsável por matar bons sentimentos. Pode ser um perigo à nossa leveza, paz, empatia, carinho com o outro. Pode ser. Há quem diga que a tem na medida exata. Tudo bem. Tudo nos é permitido. Mas nem tudo nos convém. Que possamos compreender e avaliar o que nos faz melhores. O que realmente nos convém. E que seja com o que nos faz bem. Com dureza ou não.



21 comentários:

  1. eu pensava isso ontem já q vi fotos de um rapaz q está com problemas mentais por um acidente de trânsito e na cadeira de rodas. quem cuidava era a mãe que faleceu. agora uma das irmãs. são aqueles fatos q literalmente nos atropelam e a gente tem q lidar, querendo ou não, com eles. aí todos os outros problemas ficam pequenos. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. A vida nos faz oscilar entre os dois.
    Bom fim de semana.Bjs

    ResponderExcluir
  3. ;D

    Realmente o que importa é o que nos faz bem!

    Ótimo domingo!

    Beijo! ^^

    ResponderExcluir
  4. Bonito blog! Parabéns.
    Sabe, Lu, tenho cá minhas dúvidas se aquele famoso escudo funciona com eficácia. Por experiência própria. Mas ele existe sim, e ai de nós não carregássemos um.
    Abraço, bom dia.
    Jorge

    ResponderExcluir
  5. Um texto para reflexão, minha amiga. O melhor é sermos como somos…
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Realmente a dureza pode ser um perigo a nossa leveza.
    Bela reflexão.

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Acredito que todos passamos por esses momentos da vida, que nos fechamos mais. E isso com certeza pode ser prejudicial. Um ótimo texto de reflexão!

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  8. Um texto dicotómico e que requer reflexão. É o k se chama "uma espada de dois gumes".
    Beijos, Lu e excelente mês de abril.

    ResponderExcluir
  9. Amigos, ajuda agora em portugal! Agora em portugal nao trabalhos (Z-E-R-O) e muitas Sopas dos Pobres tudos dias, MUITAS!! putugal agora uma merda pinchada no pau! E verdade e Verdade amigos meus e irmaos desempregados e racistas e xonofobos que falam muitas merdas de tudo mundo exeito do mesmo merda llamado putugal!

    Ajuda!!!

    ResponderExcluir
  10. Que texto incrível! Me fez refletir muito.

    Ótimo post!
    >>> https://blogjulianarabelo.blog/

    ResponderExcluir
  11. Temos de largar o que nos faz mal, né? E só manter perto o que nos faz bem.

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  12. Certos momentos da vida cai-nos a máscara da dureza e desabamos, porque precisamos de cair para nos erguermos de novo, uma e outra vez.
    Beijinho

    ResponderExcluir

  13. Amigos, ajuda agora em portugal! Agora em portugal nao trabalhos (Z-E-R-O) e muitas Sopas dos Pobres tudos dias, MUITAS!! putugal agora uma merda pinchada no pau! E verdade e Verdade amigos meus e irmaos desempregados e racistas e xonofobos que falam muitas merdas de tudo mundo exeito do mesmo merda llamado putugal!

    Ajuda!!!

    ResponderExcluir
  14. Amei o texto. sabe, a gente cria rótulos para nós mesmos e criamos esse padrão de como queremos viver, sendo que o importante seria fazer o que nos faz bem, mesmo que deixamos o lado mais frágil surgir.
    beijos
    lolamantovani.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Não é raro que as pessoas sejam vítimas da sua própria imagem que "fabricam" perante os outros.
    Interessante texto. Parabéns.
    Lu, um bom resto de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  16. Bom dua Lu.
    Na minha opiniao devemos nos alegrar com a felicidade dos outros e choramos juntos juntos na tristeza. Sem dureza ou mascaras. Assim podemos sermos nos mesmo sempre. Amar,amar,o amor e um dos mas lindo semtimento. Lindo texto de reflexao amiga. Feliz mes de abril. Enorme abraco.

    ResponderExcluir
  17. Uma muito boa reflexão. Tudo se quer com conta, peso e medida; mas, tantas vezes ultrapassamos a dose certa, pensando que é o melhor para o outro.
    Grata pela publicação.
    Boa semana, amiga!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  18. Ótima reflexão!
    Uma ótima semana para você.

    www.paginasempreto.blogspot.com.br

    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Boa tarde, Lu,
    realmente precisamos fazer uma boa reflexão para nos conhecermos melhor.Há tantos conflitos que às vezes nem sabemos como agir.Penso que nos deixamos levar ou nos cobrimos com uma couraça invisível para fugirmos das rudezas da vida. Precisamos sim, sermos nós mesmos, fazer o que nos deixa felizes. beijos!

    ResponderExcluir
  20. Que saudades eu tava de ler seus textos

    Beijos
    www.pimentadeacucar.com

    ResponderExcluir

Aprender a dividir o tempo

Às vezes, a vida entra numa batida desenfreada e a gente já não consegue manter uma regularidade em algumas coisas. Outras ficam à frente...